Revolucione sua empresa com Agile & OKRs!

agile-okr

O universo empresarial enfrentou diversas transformações com o surgimento de novos segmentos e modelos de negócio. Isto é decorrente de um intenso avanço tecnológico que, por ser alcançável a todos, permite uma economia dinâmica e em constante inovação.

Devido a estes fatores, as companhias estão diante de um aumento de competitividade, reforçando a necessidade de processos mais rápidos e melhor gestão de recursos.

Para facilitar a construção de uma cultura corporativa forte, as empresas utilizam-se de técnicas, recursos, metodologias  que otimizam a produtividade e aumentam a competência da gestão do negócio. Dentre eles, podemos destacar o gerenciamento de projetos e a gestão de performance como práticas utilizadas para incrementar a atuação de sua empresa.

 

Histórico: modelos tradicionais de gestão

Como afirmamos acima, as diversas práticas organizacionais têm papel fundamental dentro das empresas ao medir o rendimento de seus processos. Para se adequarem ao contexto dinâmico das empresas e para atender as novas tendências do mercado e uma nova geração de colaboradores,  novos modelos surgiram para incrementar o foco na entrega de resultados.

Modelos tradicionais de análise de performance, como cascateamento de metas, vêm sendo questionados por diversas empresas, devido a uma gestão engessada, estática e retroativa. O movimento já teve início em diversas companhias líderes de mercado. A GE e a Microsoft, por exemplo, revolucionaram o mercado com novos modelos de gestão mais ágeis e focados em resultados.

A mesma tendência acontece com a tradicional gestão de projetos. O modelo clássico, regulado pelo Project Management Institute (PMI), têm um rígido manual de práticas para garantir uma gestão do projeto produtiva.

O foco do PMI está no monitoramento e controle do projeto. Todos os processos e riscos são mapeados previamente, dando pouca margem para modificações. O sucesso só existe quando o projeto é concluído conforme o planejamento, a partir da validação do produto pelo cliente.

Entretanto, devido às exigências de mercado, uma gestão pouco flexível pode afetar a qualidade das entregas e satisfação final dos clientes. Neste contexto, um modelo de negócio dinâmico encontra dificuldades para a aplicação destas boas práticas bem como a entrega com valor agregado ao cliente.

 

Modelos ágeis de gestão

Para lidar de forma positiva com estas mudanças, é necessário desenvolver um conjunto de habilidades e ferramentas dentro da organização. Devemos ter em mente que a mudança de cultura é um processo complexo e gradativo.

Que tal adotar práticas que facilitarão sua gestão de mudança? Confira abaixo duas metodologias que farão diferença em sua empresa:

1. “Manifesto Ágil”

Surgiu como um contraponto aos modelos tradicionais de gestão. Os métodos ágeis (Agile), apesar de serem muito utilizados no segmento de tecnologia, são adaptáveis e aplicáveis a projetos de qualquer natureza, já que propõem um planejamento menos rígido. Além disso, é possível ter maior autonomia nas decisões entre os times, possibilitando correções de rotas conforme mudanças internas e externas. A maior prioridade do manifesto, é satisfazer o cliente, através de entregas contínuas com valor agregado.

Scrum, o método ágil mais disseminado no mercado, é muito utilizado para desenvolver e gerenciar projetos de software; o foco é uma das premissas, possibilitando a priorização das entregas além do desenvolvimento mais rápido, flexível e adaptado às necessidades do cliente.

2. OKR (Objectives and Key Results)

O conceito de Objectives and Key Results (objetivos e resultados-chave), mais conhecido como OKR, surgiu como resposta às tendências digitais no mundo empresarial. A metodologia foi desenvolvida na Intel na década de 70, mas disseminada recentemente no Vale do Silício em empresas como Google e LinkedIn.

Os OKRs são adotados por companhias de diferentes segmentos e tamanhos, podendo ser incorporados por qualquer tipo de organização. A metodologia auxilia empresas a manterem sua competitividade, prevendo mudanças constantes ao longo do ano. A partir do framework, é possível ter uma gestão de performance estratégica flexível.

 

Premissas OKR e Agile

1. Ciclos dinâmicos de gestão

Diferentemente dos métodos tradicionais, os métodos ágeis não buscam planejar todos os passos do projeto ou do negócio de forma imediata, mas sim aperfeiçoar os processos conforme o trajeto e a necessidade do cliente. No Scrum, por exemplo, a lista de prioridades (processos) é definida durante o project backlog, documento que é constantemente atualizado (inclusive durante o andamento do projeto).

Nesta metodologia os projetos são divididos em sprints, conjunto de histórias que deve ser executado dentro de um período definido (geralmente mensal). Ser agile é poder gerir mudanças de forma ágil: planejamentos organizam as ações, mas responder rapidamente à necessidade de ajustes garante o bom andamento dos processos.

O mesmo vale para os OKRs, já que em sua gestão, são adotados períodos dinâmicos e curtos. Ao contrário de um processo anual estático de avaliação de metas, a metodologia permite uma atuação rápida, facilitando a tomada de decisões. Há fatores externos e internos (oscilações econômicas, câmbio, novos players no mercado, satisfação dos clientes) que exigem mudanças constante de rotas; falhas na execução dos processos são normais, pois nem tudo é previsível.

2. Foco em resultados

Criar uma cultura de foco em resultados é premissa comum das duas metodologias. As empresas, em geral, desenvolvem seus projetos e operações em prol de um objetivo maior. Para disseminar o propósito, é vital que as empresas invistam em preceitos como comunicação, alinhamento estratégico e transparência, elementos que compõem a essência dos métodos ágeis.

Tanto no OKR quanto no Agile, os processos não são impostos, mas sim negociados com todos os participantes. É fundamental que todos sintam-se donos de suas metas e histórias, motivando-os para alcançar os resultados esperados. A eficácia dos OKRs e dos projetos é potencializada quanto acreditarmos na capacidade de realizá-los, estimulando o sentimento de engajamento.

3. Disseminação da cultura ágil

Para garantir o sucesso das metodologias dentro das empresa, é fundamental que haja figuras de referência que disseminem internamente os valores, princípios e práticas da nova cultura a ser estabelecida.

Para tanto, surgem dois especialistas essenciais para o bom andamento dos OKRs e dos projetos: o Líder OKR e o Scrum Master. Eles certificam que todos os processos e rituais sejam aplicados de forma eficiente, além de promover motivação e engajamento com os projetos e objetivos definidos.

A atuação de ambos é bastante similar: funcionam como um coach, disseminado a metodologia e garantindo autoridade sobre o processo. Devem atuar como agente de mudanças, propondo melhorias e mitigando eventuais problemas.

4. Reuniões periódicas de performance

Para potencializar a atuação dos OKRs e dos métodos ágeis, há alguns rituais que devem ser seguidos. Além da figura do disseminador de cultura, como apresentamos acima, é vital que haja um acompanhamento constante do progresso das ações por todos os membros envolvidos. Com ciclos dinâmicos, este monitoramento é um passo importante para garantir que a rota traçada seja cumprida.

No Scrum, todos os dias devem ser feitas reuniões (de preferência no mesmo horário) para acompanhar os sprints do projeto; são conhecidas como Daily Scrum. Para que este encontro seja mais dinâmico, recomenda-se que seja feito em pé, por no máximo 15 minutos; esta prática é também utilizada nas reuniões de check-in, conferência semanal feita para garantir o bom andamento dos OKRs.

Há outras semelhanças entre as duas práticas: devem ser feitas coletivamente entre os integrantes de cada equipe, promovendo um ambiente em que as dificuldades sejam superadas com o trabalho colaborativo. Ao final do encontro, todos devem visualizar, de maneira geral, como o projeto e os OKRs estão progredindo.

 

Exemplo de OKR para modelos ágeis

Como podemos observar, há bastante sinergia entre o OKR e os métodos ágeis. Para fortalecer ainda mais a atuação de sua empresa, recomendamos que os dois modelos sejam utilizados de forma conjunta, permitindo uma gestão dinâmica de processos.

Na criação de OKRs é importante considerar:

  • Entrega (milestone)
  • Valor da entrega (satisfação do cliente)
  • Qualidade
  • Eficiência

Para auxiliá-los ainda mais, propomos um exemplo de OKR para utilizar com os métodos ágeis:

Objetivo: Melhorar a experiência do usuário

KR 1: Alcançar NPS de 80
KR 2: Entregar 4 novos relatórios
KR 3: Manter taxas de bugs abaixo de 5%
KR 4: Corrigir bugs em até 6 horas
KR 5: Lançar novo dashboard

Quer saber mais? Não deixe de contatar um de nossos especialistas ou baixe nosso Guia Definitivo de OKR 😉

Guia Definitivo OKR

O que você achou desta matéria? Tem dúvidas sobre alguma questão abordada? Tem alguma sugestão para novos temas? Compartilhe com a gente!

Cadastre-se e receba notícias e novidades sobre gestão para equipes de alta performance.

Seu e-mail (obrigatório)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *