Revisão anual dos OKRs

Concluímos nosso ciclo OKR… E agora, o que devemos fazer?

A transição dos ciclos OKR é um momento bem importante para a sua empresa e, se bem feita, pode trazer resultados ainda mais expressivos em relação aos atingidos no ciclo passado. Essa passagem é feita através de alguns passos, que vamos defini-los a seguir:

 

Avaliar resultados do último ciclo

Em um primeiro momento, os resultados dos OKRs devem ser analisados minuciosamente,  gerando uma reflexão sobre todas as ações realizadas durante o ciclo anterior.

Na maioria das empresas e de nossos clientes, os objetivos têm dupla cadência: objetivos anuais, que representam “onde” a empresa quer chegar, guiando os colaboradores em prol das prioridades da empresa; e objetivos trimestrais, definidos a nível micro, pelos departamentos e colaboradores com base nos objetivos anuais.

Mesmo que os dois tipos de objetivos estejam interligados, é vital que sejam analisados separadamente para entender a atuação de cada área dentro da empresa. O resultado final do ciclo de cada departamento deve ser calculado através da média simples de valores de cada objetivo. Isto vale também para as metas individuais, caso sua empresa já faça este processo.

Após a análise de resultados anuais (macro) e trimestrais (micro), é importante que seja feita uma conclusão avaliando se estas metas foram cumpridos ou não, e quais são as melhorias que poderão ser feitas a partir dos objetivos que não foram bem sucedidos. Esta metodologia não promove uma cultura de punição ao colaborador por não ter alcançado o resultado, mas sim um ciclo constante de aprendizado, fator que deverá ser levado em consideração nesta reflexão.

 

Definir diretrizes estratégicas

Após a avaliação dos OKRs do último ciclo, o segundo passo para a transição do ciclo é definir as diretrizes estratégicas juntamente com o time executivo. Estas diretivas representam quais serão as prioridades a serem levadas em conta para a formulação das metas do próximo ano.

As diretrizes estratégicas são definidas essencialmente por 3 pilares:

1) Missão: é o propósito de ser da empresa, ou seja, quais são as intenções que guiarão o negócio na tomada de decisões. Este pilar provavelmente não será modificado anualmente, mas deve ser revisto e levado em consideração a cada ciclo;

2) Visão: é a reflexão sobre futuro do seu negócio, isto é, as aspirações e metas que a empresa deseja conquistar;

3) Valores: são os princípios, crenças e virtudes que a empresa seguirá para alcançar seu propósito.

Tendo estas estruturas bem alinhadas, é importante identificar as oportunidades e os fatores críticos de sucesso (FCS) de negócio, delineando a forma de atuação no mercado. Estes fatores devem estar alinhados com todas as conclusões obtidas através da avaliação do último ciclo OKR, tendo os pontos críticos (positivos e negativos) como parte do desenvolvimento das estratégias da empresa.

Sugerimos que seja feita a seguinte reflexão: o que temos que conquistar para ter um ano bem sucedido?

Os FCS delimitam quais são as condições vitais para a empresa sobreviver e, mais que isso, guiar o desenvolvimento e crescimento do negócio. É fundamental, portanto, que sejam incluídos nas diretrizes estratégicas e reflitam diretamente nos objetivos e resultados-chave macro da empresa, ponto que será abordado a seguir.

 

Criar os OKRs anuais

Com as diretrizes estratégicas definidas, o próximo passo é formatar os OKRs anuais, que guiarão toda a empresa em prol dos resultados desejados. Lembre-se: eles devem motivar e inspirar a empresa pelos próximos meses. Evite linguagem muito técnica e seja aspiracional, já que isto ajuda a aumentar o engajamento dos colaboradores.

É importante notar que a metodologia não funciona para revisões anuais estáticas ou avaliar a performance dos colaboradores. Eles são targets ambiciosos que estimulam os colaboradores e a empresa com um todo. Crie uma cultura na qual pessoas podem se arriscar sem ter medo das consequências, evitando a tentação de jogar pelo seguro.

Exemplo de objetivo aspiracional: “Dominar o universo de marketing digital no Brasil”

A estratégia e as prioridades devem constar nos objetivos anuais, já que os departamentos (e indivíduos, caso aplique ao seu caso) determinarão sua atuação no próximo ciclo a partir destes objetivos. Recomendamos criar até 3 objetivos anuais, dependendo do tamanho e maturidade de sua empresa.

Retomando o tópico de diretrizes estratégicas, também devemos incluir os fatores críticos de sucesso da empresa nos objetivos anuais. Como funciona este processo? Transformar estes critérios em resultados-chave. Como já sabemos, os KRs são a forma de mensurar o progresso do objetivo definido, geralmente definido por um indicador (KPI).

Por exemplo: sua empresa atua no segmento têxtil e já tem um faturamento sólido no Brasil, mas gostaria de atingir outros mercados fora do país. Este é um fator crítico para a empresa manter seu crescimento sustentável e escalável – portanto, devemos delinear algum objetivo em torno desta ideia.

Um KR interessante seria “iniciar o processo de exportação para 3 países diferentes da América Latina”.

 

Apresentar o planejamento anual para a empresa

Após a criação dos objetivos e resultados-chave anuais, é importante dividi-los com toda a empresa. A metodologia busca potencializar a comunicação dentro da empresa a partir da transparência e gestão colaborativa das metas do negócio. Portanto, é essencial que o time executivo seja claro o bastante para transmitir qual é o caminho que os colaboradores devem seguir no ciclo.

Como dito anteriormente, os departamentos devem tomar como base os objetivos anuais e as diretrizes estratégicas da empresas para planejar seus objetivos trimestrais, fomentando o alinhamento entre o propósito da organização e seus colaboradores. Estas metas devem ser direcionadas a atuação de cada departamento; portanto, podemos ser muito mais específicos na formulação desses objetivos. Se quiser saber mais sobre os períodos trimestrais de OKR, clique aqui.

Ainda que seja muito aceitável que ocorram adaptações na metodologia nos primeiros ciclos OKR, para ter uma suavidade maior na implantação, é necessário que os conceitos da metodologia sejam reforçados a fim de ampliar seus resultados.

A partir dos objetivos e resultados-chave anuais, cabe o esforço da empresa para aumentar ainda mais o alinhamento estratégico e a cultura de resultados. A força da metodologia está na transparência dos objetivos macro e no direcionamento das metas aos fatores críticos de sucesso.

Para saber mais sobre a ferramenta, temos o Guia Definitivo para download gratuito ou agende uma conversa com nossos especialistas para tirar suas dúvidas clicando aqui.

Guia Definitivo OKR

O que você achou desta matéria? Tem dúvidas sobre alguma questão abordada? Tem alguma sugestão para novos temas? Compartilhe com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *